Home / Blog / Tecnologia / O que é internet quântica? Entenda sobre a nova tecnologia que pretende trazer mais segurança à rede mundial

O que é internet quântica? Entenda sobre a nova tecnologia que pretende trazer mais segurança à rede mundial

Se você acompanha sites de tecnologia e publicações científicas, certamente já deve ter lido alguma vez o termo “internet quântica”. Mas você sabe o que é internet quântica ou qual é a premissa por trás dessa ideia que promete trazer mais segurança à rede mundial.

Compreender como essa tecnologia inovadora deve funcionar não é uma tarefa simples, mas vamos tentar traduzir de uma forma mais acessível os mecanismos que permitem a sua existência. Apesar de os avanços científicos serem constantes, especialistas afirmam que ainda está um pouco longe o dia em que a internet quântica será utilizada em escala comercial pela maioria dos usuários.

Quais as revoluções prometidas pela internet quântica?

Podemos simplificar a internet quântica como uma forma de tecnologia na qual várias partes enviam informações umas para as outras por meio de sinais quânticos. Há cerca de um ano, quando o primeiro satélite quântico foi lançado, os primeiros testes começaram. Eles vêm sendo conduzidos por uma equipe de físicos chineses.

O grande diferencial está na forma de transmissão das informações. Ao invés das tradicionais ondas de rádio, o sistema criado por eles utiliza fótons delicados de luz infravermelha para enviar e receber informações. Por suas características, essa forma de transmissão pode ser considerada muito mais segura se comparada a qualquer tipo de sistema já criado até então.

Por estar menos vulnerável a ataques de hackers, muitos consideram até mesmo que a internet quântica, se atingir escala comercial global, poderá ser considerada uma espécie de reinvenção da internet. Os resultados dos primeiros testes foram publicados na renomada revista Science and Nature.

Inovações nos princípios fundamentais de transmissão de dados

Vamos tomar como exemplo a internet atual que utilizamos. Nela, os dados são transformados em bits (sempre iguais a 0 ou 1). Isso coloca um determinado limite na quantidade de informações que pode ser transportada. No caso da internet quântica, esses mesmos bits podem ser superpostos, ou seja, podem ser valores que são parcialmente 0 e 1 ao mesmo tempo. A isso se dá o nome de nome qubits.

Dessa forma, com maiores possibilidades de transmissão, em teoria seria possível fazer cálculos mais poderosos graças à amarração de qubits, que são tratados como unidades matemáticas únicas. Além disso, esses qubits são únicos e não podem ser copiados. Se alguém tentasse fazer isso, imediatamente a base central detectaria. A segurança, ao menos frente aos meios que conhecemos hoje, seria total.

Porém, mesmo o artigo deixa claro que os estudos relacionados a essa tecnologia ainda estão em fase embrionária de pesquisa. Por essa razão, o real potencial ainda é incerto, embora existam muitas teorias especulando as suas possibilidades. Os especialistas afirmam que é possível melhorar as redes de telescópios, aprimorar sensores e até mesmo desfrutar do poder de um processador quântico através da computação na nuvem.

China, Holanda e Estados Unidos são alguns dos poucos países que iniciaram pesquisas nesse sentido. Trata-se de uma tecnologia cujos investimentos são altos e, por essa razão, o campo de estudos ainda é restrito a poucas universidades. Com a divulgação dos primeiros resultados, os pesquisadores esperam chamar a atenção do potencial da internet quântica e, com isso, atrair mais investimentos para seguir os estudos.

Para que testes mais eficientes sejam realizados, comprovando algumas ideias que até o presente momento estão apenas no campo teórico, ainda deve levar mais alguns anos. Até lá, a expectativa é que mais países possam encampar essa ideia, ajudando assim a acelerar o processo de pesquisa e desenvolvimento daquele que pode ser o futuro da internet.