Autor: MyMob

Como identificar cabos e acessórios falsificados ou não certificados com conector Lightning

Os cabos do iPhone e do iPad estão entre os itens mais procurados por proprietários desses modelos por uma série de razões. A primeira delas é que eles são um pouco frágeis e, portanto, ter um cabo reserva sempre á mão é essencial. Além disso, no caso do iPhone, a bateria geralmente não dura o dia todo, então ter mais de um cabo por perto sempre ajuda.

Porém, cabos originais de iPhone costumam ser caros e, por conta disso, muitos recorrem aos modelos similares, que nem sempre são originais ou certificados. Esses cabos podem resultar em problemas para os seus aparelhos, além de muitas vezes nem serem reconhecidos pelo sistema operacional.

Nesse artigo, vamos falar sobre como identificar cabos e acessórios falsificados ou não certificados para iPhone e iPad. Seguindo alguns conselhos básicos, é possível perceber com muita facilidade quando vale a pena ou não investir em um produto que não seja o oficial vendido pela Apple.

Fugindo dos problemas

Caso você esteja usando um cabo Lightning que não seja original ou certificado, uma série de problemas podem ocorrer com o seu aparelho. Além de o sistema operacional não reconhecê-lo, o que torna o acessório inútil, ele pode fazer com que o aparelho esquente demais. Alguns não conseguem nem mesmo serem encaixados corretamente no celular.

Para evitar que qualquer uma das situações descritas acima aconteçam com você, vamos às dicas que você pode seguir.:

1. Verificando a embalagem e o cabo

A Apple não é a única empresa que pode fabricar cabos para iPhone. Quando se trata de um cabo vendido pela própria Apple, é fácil identificar a procedência. Contudo, em cabos confeccionados por outros fabricantes há alguns indicativos a mais para ficar de olho. O primeiro deles é o selo MFi.


Trata-se de um selo com os seguintes dizeres: “Made for iPhone” ou “Made for iPod, iPhone e iPad”. Além disso, no cabo original da Apple você poderá ler a inscrição “Designed by Apple in California”, seguida de “Assembled in China”, “Assembled in Vietnam” ou “Indústria Brasileira”. Por fim, repare ainda que há um serial de 12 dígitos no final do texto.


2. Detalhes técnicos

Mesmo tomando todos esses cuidados, é possível que a esperteza das empresas que praticam a pirataria consiga simular essa situação. Dessa forma, é preciso observar outros detalhes na construção do cabo e, ao menor sinal de que há algo errado, desconfie.



Os cabos Lightning para USB da Apple são feitos em peça única, regular e têm contatos arredondados e lisos. Já as versões falsificadas são feitas com mais de uma peça, têm acabamento áspero ou inconsistente e seus contatos são quadrados e com superfície irregular.

Da mesma forma, a largura e o comprimento do conector da Apple é sempre a mesma: 7,7 mm x 12 mm; nas versões piratas, os tamanhos variam e não há nenhuma uniformidade no produto. Por fim, o encaixe original do conector é cinza/metálico enquanto as cópias não certificadas têm encaixes brancos ou pretos.


3. Diferenças também na extremidade USB

Esses não são os únicos detalhes técnicos que podem ser observados entre os cabos originais e os cabos falsificados. No lado USB, a versão original tem travas trapezoidais, cujo espaçamento é igual em relação à borda; nos modelos não originais, as travas têm ângulos retos e espaçamento irregular.


Ainda há outros itens que podem ser observados no produto original: os contatos USB são dourados, a superfície do USB é lisa e consistente e a superfície do isolante da conexão USB é uniforme e plena. Já nas versões falsificadas, os contatos USB são prateados, a superfície do USB é áspera ou granulada e apresenta uma peça de retenção, e o isolante tem ranhuras ou recuos.